O trabalho com equipes reflexivas: revisão de literatura

Milena Carolina Fiorini, Luciane Guisso, Maria Aparecida Crepaldi

Resumo


A concepção de equipe reflexiva surgiu
na década de 1990, consoante com a influência
dos pressupostos do Construcionismo Social,
que passaram a nortear a prática das terapias sistêmicas
pós-modernas. Com foco nessa temática,
este artigo trata de uma revisão integrativa de
literatura, realizada por meio da coleta de estudos
nacionais e internacionais. A análise dos trabalhos
encontrados permitiu constatar que a grande
maioria utilizou métodos qualitativos. Houve
prevalência de pesquisas que abordaram, como
uma das principais temáticas, a avaliação da
participação em equipes reflexivas por parte de
clientes e/ou terapeutas. Com o mesmo número
de trabalhos encontrados, a temática referente à
equipe reflexiva como recurso utilizado em outros
campos profissionais também foi preponderante.
Apesar do predomínio de avaliações positivas
em relação à participação nas equipes reflexivas,
muitos estudos concordam com a necessidade
de maior exploração teórica e técnica da temática,
afim de que os pesquisadores e profissionais
consigam aliar teoria e prática, adotando uma
postura coerente com as premissas originais do
trabalho reflexivo.

Palavras-chave


equipes reflexivas, processos reflexivos, construcionismo social, terapia familiar sistêmica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

A revista Nova Perspectiva Sistêmica é publicada pelo Instituto Noos São Paulo.

Está indexada por Latindex, DOAJ, Clase, BVS-PSI, PePSIC e MIAR Universitat Barcelona, tem conceito B3 no Qualis.