Ateliês em curso – tecendo metodologias de facilitação

  • Cecilia Abrahamsson
  • Cintia Lopes Rangel
  • Cristina Fonseca Ribeiro
  • Delaine Martins Costa
  • Flora Moana Van De Beuque
  • Heloisa Rodrigues da Costa
  • Jorge Bergallo
  • Leonora Corsini
  • Luciana Abrahamsson
  • Maria Beatriz Costamilan
  • Marilia Lopes Modesto
  • Monica Meurer de Miranda
  • Regina Peregrino Ribeiro
  • Rosana Rapizo
  • Sandra Mara de Mello Lopes
  • Sandra Santos
Palavras-chave: grupo, facilitação, comunidades de aprendizagem, construcionismo social

Resumo

Este artigo é uma narrativa construída coletivamente por pessoas que participaram do Curso de Teoria e Prática com Grupos realizado em 2012 e 2013 no Instituto Noos e continuaram após o final do curso em um novo grupo denominado Formação Continuada até a presente data. O artigo pretende realizar uma narrativa reflexiva sobre esta trajetória. Ele aborda algumas de nossas premissas a respeito de comunidades de aprendizagem e construção coletiva de conhecimento, alinhadas com o construcionismo social e com o pensamento de autores como Paulo Freire, Donald Schön, Sheila McNamee e Saúl Fuks. Destacamos a forma de trabalhar que chamamos ateliê e seus pilares: o acordo de convivência, falar de si e a facilitação/o facilitador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cecilia Abrahamsson
Instituto Noos

Referências

Anderson, H. (1998). Collaborative Learning Communities. In: S. McNamee & K. J. Gergen (Eds.), Relational Responsibility: Resources for sustainable dialogue. Londres: Sage Publishing.

Barreto, A. (2005). Terapia Comunitária passo a passo. Fortaleza: Gráfica LCR.

Cooperrider, D. L.; Whitney, D. (2006). Investigação Apreciativa: uma abordagem positiva para a gestão de mudanças. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Freire, P. (1983). Extensão ou comunicação? (7a ed.) Rio de Janeiro: Paes e Terra.

______ (1987). Pedagogia do Oprimido. (17a ed.) Rio de Janeiro: Paes e Terra.

Freire, P.; Faundez, A. (1985). Por uma pedagogia da pergunta. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Fuks, S. (1995). Diseños dialogicos en contextos psicosociales complejos. Recuperado de http://moiru.com.ar/count.php?a=148.

______ (2009). La facilitación sistémica de procesos colectivos. “Artesanía de contextos” focalizada en la promoción. In: Revista IRICE (vol. 20, pp. 63-76), Rosario: Instituto Rosario de Investigaciones en Ciencias de la Educación.

______ (s/d). Artesanía de Contextos: Desde contextos de supervivencia a contextos de libertad, la construcción de posibilidades para la colaboración terapéutica. Rosario: inédito.

Ibañez, T. (2001). Como se puede no ser construccionsta hoy en dia? In: T. Ibanez Psicologia social construcionista. (Capítulo VI, pp. 245-259), México: Universidad de Guadalajara.

Mcnamee, S. (2015). Radical Presence: Alternatives to the therapeutic state. In: European Journal of Psycotherapy and Counselling (vol. 17, n.4, pp. 373-383), Londres: Routledge.

Mcnamee, S.; Gergen, K., Eds. (1998). Relational Responsibility: Resources for sustainable dialogue. Londres: Sage Publishing.

Rapizo, R. (2013). Entre laços e nós, perdas e ganhos: um espaço de conversas sobre divórcio. Tese de doutorado, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Programa de Pós-graduação em Psicologia Social. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Rapizo, R.; Brito, L.M.T. (2014), Espaço de conversas sobre o divórcio: a diferença como recurso para transformação. In: Nova Perspectiva Sistêmica, (n. 50, pp. 32-50), Rio de Janeiro: Instituto Noos.

Rasera, E.; Japur, M. (2007). Grupo como Construção Social: Aproximações entre Construcionismo Social e Terapia de Grupo. São Paulo: Vetor.

Schon, D. (1983). The Reflective practitioner. Nova York: Basic Books.

______ (1992). Formar professores como profissionais reflexivos. In: A. Nóvoa (Coord.) Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote.

Sennet, R. (2009). O Artífice. Rio de Janeiro: Record.

Como Citar
Abrahamsson, C., Rangel, C. L., Ribeiro, C. F., Costa, D. M., Beuque, F. M. V. D., Costa, H. R. da, Bergallo, J., Corsini, L., Abrahamsson, L., Costamilan, M. B., Modesto, M. L., Miranda, M. M. de, Ribeiro, R. P., Rapizo, R., Lopes, S. M. de M., & Santos, S. (1). Ateliês em curso – tecendo metodologias de facilitação. Nova Perspectiva Sistêmica, 25(56), 22-33. Recuperado de https://www.revistanps.com.br/nps/article/view/238
Seção
Artigos