Grupos reflexivos de gênero para homens no ambiente virtual - primeiras adaptações, desafios metodológicos e potencialidades

Palavras-chave: homens, masculinidades, espaço virtual, gênero, grupos

Resumo

Este artigo tem por objetivo problematizar a adaptação de metodologias grupais reflexivas sobre gênero ao sistema de encontros online mediados por programas que permitem reuniões no espaço virtual.  Relata-se o desafio de manter uma postura teórico-filosófica e metodológica alinhada a processos reflexivos, coconstrução de espaços relacionais de discussão, respeito à diversidade e problematização das relações de gênero, atentos a um novo contexto social e a produção de novas desigualdades. Busca-se trazer à reflexão aspectos adaptativos iniciais, desafios e potencialidades a partir da experiência dos autores na realização destes grupos nos meses iniciais de pandemia e isolamento social. Considerando a experiência de utilização da metodologia de grupos reflexivos do Instituto Noos e da organização MEMOH, foca-se especialmente no público de homens interessados na reflexão coletiva sobre gênero e masculinidades.  Desenvolve-se uma nova organização de convivência e etiqueta relacional que permite avanços, porém também alinha em seu torno perdas, em comparação ao formato presencial. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Beiras, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, Florianópolis/SC

Psicólogo, Psicoterapeuta. Terapeuta de Casais e Famílias pelo Familiare Instituto Sistêmico. Doutor em Psicologia Social pela Universidade Autónoma de Barcelona, Espanha. Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).  Professor do Departamento e do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina. Coordenador do Núcleo de Pesquisa Margens (Modos de Vida, Família e Relações de Gênero).

Alan Bronz, Instituto Noos, São Paulo/SP

Psicólogo graduado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ), especialista em terapia de família e casal pelo Instituto de Terapia de Família do Rio de Janeiro (ITF/RJ), mestre em psicologia clínica também pela PUC/RJ e, atualmente, participa de uma formação em psicanálise.análise.

Pedro de Figueiredo Schneider, MEMOH, São Paulo/SP

Graduado em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF), especialista em Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade pela Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) e fundador do MEMOH negócio social.

Publicado
2021-01-22
Como Citar
Beiras, A., Bronz, A., & Schneider, P. de F. (2021). Grupos reflexivos de gênero para homens no ambiente virtual - primeiras adaptações, desafios metodológicos e potencialidades. Nova Perspectiva Sistêmica, 29(68), 61-75. https://doi.org/10.38034/nps.v29i68.606
Seção
Artigos